domingo, 22 de novembro de 2009

Organograma da Petrobras


O novo modelo de organização aprovado dia 20 de outubro de 2000 pelo Conselho de Administração irá dotar a companhia de modernos instrumentos de gestão e torná-la mais ágil, transparente e eficiente. Com isso, a empresa dá um passo decisivo para atingir as metas estratégicas de expansão, internacionalização, rentabilidade e produtividade.

De acordo com o novo modelo, a companhia passa a funcionar com quatro áreas de negócio - E&P, Abastecimento, Gás & Energia e Internacional -, duas áreas de apoio - Financeira e Serviços - e as unidades corporativas ligadas diretamente ao presidente. A estrutura incorpora o conceito de unidades de negócio, já adotado pelas maiores companhias de petróleo e energia do mundo. Foram criadas 40 unidades vinculadas às áreas de negócio. Cada unidade de negócio vai operar com mais autonomia nas decisões e independência para administrar orçamento e investimento. Haverá metas e responsabilização pelos resultados. Será possível avaliar cada atividade da companhia com mais precisão, corrigir desvios do planejado, enfatizar os bons desempenhos e atuar com rapidez sobre os mais fracos.

O mesmo princípio valerá para as áreas de serviço. Elas vão ser avaliadas pelo que agregarem de valor aos diversos negócios da empresa e terão que se tornar competitivas. Além de melhorar a operação e os resultados da empresa, a nova estrutura abre espaço para que os empregados desenvolvam seu potencial e criatividade e se beneficiem do valor agregado ao negócio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário